Mastectomia canina: remoção de tumores e cadeias mamárias

Saiba mais sobre a cirurgia, incluindo antes (exames e preparação) e depois (cuidados e biópsia / histopatológico). Exemplo real com minha cadela!

cadela amamentando

Conforme contei em outro texto por aqui, a Caju, minha cachorrinha, precisou passar por uma cirurgia para remoção de tumores: a Mastectomia.

Tudo aconteceu muito rápido: da detecção dos tumores aos preparativos para a cirurgia. No começo foi tudo meio assustador como deveria ser, afinal, não sabíamos se os tumores eram malignos ou benignos. Sim, tumores – no plural!

Vou contar aqui como tudo aconteceu. Não sei se tivemos sorte, mas o pós-cirúrgico foi bem mais tranquilo não só do que imaginávamos – mas do que os próprios profissionais falavam pra gente.

Mastectomia em cadelas: início, meio e fim

Vale reforçar que essa foi a nossa experiência e pode variar de um cão para o outro. Tire todas as suas dúvidas com um veterinário!

A detecção dos tumores

Certo dia, brincando com a Caju, reparei que havia dois pequenos caroços na região de sua barriga: cada um era próximo de uma mama, um de cada lado.

Confesso que no começo isso não me preocupou muito. Ela já havia apresentado alguns caroços em outras regiões por conta de injeções e vacinas, e foi questão de tempo para que esses sumissem.

Depois de alguns dias, porém, nada de redução desses nódulos novos. Então foi a hora de procurar um veterinário.

Os exames e avaliação pré-operatória

Nossa veterinária solicitou um exame de chamado “Análise Citológica“, que é basicamente uma agulhada em cada caroço para coleta de pequenas amostras (não é como uma biópsia). Havia um certo otimismo porque, pela idade da Caju (de 3 a 5 anos), tumores malignos não eram comuns.

Porém, o resultado do exame veio com o seguinte resultado:

Análise citológica sugere Carcinoma.

Resultado em análise de laboratório

E aí, logo de cara, veio o baque: “A Caju tem câncer de mama?”

Bom, não havia outra coisa a ser feita: era preciso marcar uma cirurgia para remoção dos tumores e, em seguida, uma biópsia pra confirmar a gravidade da situação.

Para a cirurgia foram solicitados os seguintes exames: hemograma (exame de sangue), raio-x do tórax e ultrassom abdominal. Assim seria possível verificar a saúde da cadela, além de saber se houve ou não metástase.

Um eletrocardiograma também foi preciso para checar se estava tudo em ordem com o coração e saber qual anestesia poderia ser usada.

A preparação pré-cirúrgica

A única solicitação foi um jejum de 8 horas para comida e 4 horas para água. Mas na segunda cirurgia foi recomendado que o jejum para água fosse de 8 horas também.

Opa! Como assim “segunda cirurgia”? Segue o fio que eu explico mais abaixo!

Além disso, também foi preciso levar um cobertor no dia da cirurgia, e uma roupa pós-cirúrgica é recomendada também.

colar elizabetano
O colar elizabetano (ou abajur) não é muito recomendado pra esse tipo de cirurgia.

A cirurgia de remoção dos tumores e cadeias mamárias

Foram necessárias duas cirurgias, sendo uma para cada cadeia mamária. Isso porque o procedimento retira muita pele, então seria inviável fazer a retirada de ambas as cadeias por conta dos pontos: a pele seria muito esticada.

Tendo isso em vista, a espera de uma cirurgia para a outra é de um a dois meses. Não sei dizer se em todos os casos a cirurgia é dividida em duas partes, mas nesse caso foi.

Uma cadeia mamária é a fileira de mamas, ou seja: cada lado é uma cadeia. A cirurgia remove a fileira inteira, e não apenas uma mama ou o tumor em si. Então, é um corte bem extenso, praticamente do pescoço até as partes íntimas.

A alta foi no mesmo dia, sendo que o procedimento (dos preparativos até ela ter alta, que é no mesmo dia) levou cerca de 8 horas.

Os cuidados, medicamentos e exames pós-cirúrgicos

Grogue e toda enfaixada: na saída da sala cirúrgica ela mal conseguia se mover.

Durante mais ou menos três dias após a cirurgia ela precisou ficar enfaixada, o que é normal. Pela extensão do corte e quantidade de pontos, é preciso fazer um curativo bem apertado para garantir que nada saia do lugar – literalmente.

Foram receitados dois remédios para dor, um antibiótico e um antiinflamatório. Ela foi medicada durante dez dias – mesmo período em que ela ficou com os pontos.

O pós-operatório foi tranquilo. No primeiro dia ela ficou bem manhosa por conta da medicação e do medo; nos três primeiros dias ela mal conseguia se mover por causa do curativo. Em nenhum momento ela aparentou estar com dor.

Após a remoção desse curativo foi preciso fazer uma limpeza na ferida duas vezes por dia, além de novos curativos (dessa vez mais simples, apenas para proteger os pontos). Deu tudo certo com a cicatrização, não houve sangramento nem na retirada de pontos.

Tratamentos, acompanhamento e retorno ao veterinário

No mesmo dia de ambas as cirurgias já levamos a cadeia mamária para exame Histopatológico (a biópsia) no laboratório.

No dia do resultado da primeira cirurgia, o alívio:

Conclusão: Tumor misto benigno.

Histopatológico 1

Já na segunda, foi detectado um carcinoma.

Os achados histopatológicos são compatíveis com Carcinoma mamário em tumor misto Grau I.

Histopatológico 2

Por ser um tumor malígno, ela precisou fazer quimioterapia.

De resto, nossos retornos foram apenas para remoção dos pontos e agendamento da cirurgia seguinte. A veterinária também receitou uma pomada para ajudar na cicatrização.

Quanto custa a cirurgia e os exames?

Boa parte dos procedimentos foram feitos em um hospital veterinário público. Ainda assim, fiz algumas pesquisas porque precisei fazer alguns exames em laboratórios particulares.

Os preços abaixo podem variar bastante. Foram os melhores que encontrei nas proximidades de onde moro, na capital de São Paulo.

Ah, e cada custo é individual, ou seja: diz respeito a uma parte da cirurgia, e não ela completa.

  • Consulta com a veterinária: R$ 80,00
  • Custos dos exames pré-operatórios (RX do tórax, ultrassom abdominal e eletrocardiograma): R$ 400,00
  • Cirurgia para remoção de uma cadeia mamária + anestesia: R$ 1600,00
  • Roupa pós-cirúrgica: R$ 60,00
  • Análise histopatológica: R$ 140,00
  • Remédios (analgésicos, antiinflamatório e antibiótico): R$ 200,00
  • Quimioterapia (seis sessões, com cinco hemogramas): R$ 2000,00

Não levei em conta os custos com curativos e limpeza porque já tínhamos algumas coisas em casa.

roupa pós-cirúrgica
A roupa pós-cirúrgica é propositalmente apertada.

Faça um checkup constante em sua cadela!

Como você pode ver, os custos podem ser bem elevados – e infelizmente não há muitas opções de hospitais veterinários públicos no Brasil. Além disso, a Caju é de pequeno a médio porte e os tumores eram bem pequenos. Ou seja, os valores podem ser muito maiores que esses que passei aqui.

Além de levá-la em um veterinário constantemente, fique atento a mudanças no corpo e de comportamento de sua cadela. E fique esperto: machos também podem ter câncer de mama.

Nesse artigo aqui você pode conferir algumas dicas sobre toque na mama para detecção de tumores em cachorros.

E você, tem dicas ou quer contar sua experiência com mastectomia, tumores e câncer em cachorros? Deixe seu comentário!

Receba posts por e-mail!

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Avatar
Formado em Publicidade e Propaganda e Design de Publicidade, trabalha com web design e desenvolvimento, mas sempre arruma um tempo pra ler, estudar e escrever sobre cães. Atualmente mora com a Caju, vira-latinha resgatada da rua. Siga no twitter!

Comentários

  • Olá! Poderia me informar em qual hospital público veterinário levou? Em São Paulo eu fui no da Parada Inglesa em 2018 e lá me informaram que não faziam este tipo de cirurgia.

    Responder
    • Juliana, foi no Hospital Veterinário Público (ANCLIVEPA) Unidade Tatuapé, na Salim Farah Maluf.

      Não sei como está hoje já que a cirurgia foi feita há cerca de um ano, mas a dica que te dou é: chegue uma meia hora antes do horário de abertura.

      Responder
  • Quanto tempo levou até ela se recuperar da primeira cirurgia?

    Responder
    • Foram cerca de duas semanas até tirar os curativos e pontos, Larissa.

      Responder
  • Gostei muito de toda informação passada pra gente. Parabéns pela explicação!!!! Felicidades

    Responder
    • Boa tarde. Obrigada por toda informação. Estou com minha cadela operada a 4 dias, ela está bem molinha, a maior preocupação está sendo com comida, não está comendo quase nada, tive quer fazer papas e bater para dar pela seringa.

      Responder
      • Coitada ;\

        A Caju ficou manhosa no primeiro dia, não queria comer também. Mas depois disso foi tranquilo.

        Espero que fique tudo bem com sua cachorrinha!

        Responder
  • Fabio, nos dias seguintes à cirurgia voce fazia curativos em casa ou só depois da retirada dos pontos?

    Responder
    • Na primeira cirurgia era preciso fazer curativos duas vezes por dia. Na segunda não foi preciso.

      Responder
  • Após a segunda cirurgia, você detectou ainda alguns nódulos na sua pet? Porquê foi indicado quimioterapia? Adoptei uma patuda com 13 anos e ela chegou com nódulos, já fizemos as duas cirurgias e removeram tudo, mas agora 2 meses após a cirurgia vejo que tem muitos carocinhos na barriga, não sei se são dos pontos internos que são absorviveis com o tempo ou se já são novos nódulos. Os veterinários não indicaram quimioterapia, não fizeram biopsia, mas fizeram rx antes da cirurgia para ver se já havia metástase e não encontraram 🙏

    Responder
    • Como o tumor era maligno foi preciso fazer quimio depois da cirurgia.

      Responder
  • Eu quero saber em qual hospital veterinario publico vc fez a operaçao da cachorra.?

    Responder
    • Hospital Veterinário Público (ANCLIVEPA) Unidade Tatuapé, Graziela.

      Responder
  • Olá Fábio!
    Obrigada por compartilhar com a gente sua experiência. Estou vivendo algo parecido com minha Julie. Ela tem 13 anos e foi resgatada da rua há 12 anos. Ela já passou por muita coisa: atropelamento, abandono, doença do carrapato, cirrose… E agora descobrimos 2 nódulos: um pequeno (2cm) na mama e outro perto do útero, este bem grande, cerca de 11 cm de diâmetro. Fiz os primeiros exames, não há indício de malignidade. Mas o veterinário recomendou a retirada do nódulo grande. O veterinário disse que ela está bem e que agora seria o melhor momento para uma cirurgia. Estou com medo de tudo: da cirurgia, do pós operatório, não sei o que fazer. Somos só nós duas em casa e tenho que decidir logo. O que vc faria no meu lugar?

    Responder
    • Márcia, pra mim o que o veterinário orienta é lei. Principalmente em casos do tipo ;]

      Responder

Deixe seu comentário