ONG: Laika Vitae (Belo Jardim – PE)

Conheça a Laika Vitae, organização não governamental de proteção, cuidados e resgate de animais localizada em Belo Jardim (Pernambuco).

evento de adoção

Oi, eu sou a Caju!

Como vocês já sabem, eu fui resgatada. Mas nem todos os cachorrinhos tiveram a mesma sorte que eu e ainda estão nas ruas e/ou sofrendo todos os tipos de maus tratos que vocês podem – ou não – imaginar.

Graças a ONGs e abrigos, alguns animais ainda têm esperança. Buscando não só valorizar o trabalho desse pessoal, mas também incentivar a adoção através de divulgação e conscientização, iniciamos um quadro novo aqui no blog!

A ideia é dar espaço para diversas ONGs e abrigos do Brasil contarem sua história. Os trabalhos são ótimos, mas infelizmente muitas organizações passam por dificuldade. Toda ajuda é bem vinda – de doações a apadrinhamento – e você poderá fazer sua parte ajudando uma ONG ou abrigo perto de sua casa.

Ou até mesmo encontrar um animal de estimação, quem sabe?! Esse, inclusive, é nosso principal desejo com essa série de textos. E nada mais justo que começar com uma ONG que a nossa amiga Katharyne Raylle ajudou a fundar!

ONG Laika Vitae

logo da ONG

Entrevistamos Ariane Vasconcelos, vice-presidente da ONG, que fica em Belo Jardim (Pernambuco).

Saiba tudo sobre o trabalho deles abaixo:

Como surgiu a ONG?

A Laika Vitae é uma organização criada por um grupo de jovens da cidade de Belo Jardim, Agreste de Pernambuco, a fim de ajudar os animais abandonados do município. O projeto foi iniciado no dia 10 de janeiro de 2014, tendo reuniões semanais e abertas para a população. Com o passar do tempo, sentimos a necessidade de formalizar a ONG e demos entrada no CNPJ.

O nome da Associação vem do latim e significa “Laika vive”. Essa é uma homenagem ao primeiro ser vivo lançado ao espaço, uma cadela da raça Laika Siberiano. Ela foi enviada para fora da Terra em 3 de novembro de 1957, a viagem foi abordo do satélite soviético Sputnik 2 que permitiu observações importantes para futuras viagens espaciais e que resultou na morte da cadela.

Como funciona o trabalho de vocês?

A ONG atua no resgate, auxílio médico, lar temporário, esterilização e adoção de animais de rua da cidade de Belo Jardim, que estão em situação de abandono, maus-tratos ou negligência do poder público.

cadela lili: antes e depois

Que tipo de procedimento é empregado no processo de adoção?

Para adoção é necessário ter mais de 18 anos, RG, CPF e endereço. Realizamos um breve questionário sobre as pessoas que moram na casa, onde o animal será criado e como. Na maioria das vezes os voluntários levam os animais às residências, sendo exceção nos eventos de feira de adoção, quando a população participa do mesmo.

Após a adoção, existe algum tipo de acompanhamento com os tutores e os animais?

Sim. Depois da adoção, na medida da disponibilidade dos voluntários, uma visita é realizada no lar que o animal foi adotado, como também acompanhamos por fotos e vídeos que são pedidos aos tutores depois da adoção.

Atualmente vocês estão com quantos animais?

Atualmente estão sob nossos cuidados 20 cães e 36 gatos.

Existe alguma época do ano em que os resgates são em maior número?

Sim. O número de resgates aumenta no período de final de ano (dezembro e janeiro), onde cresce o número de abandonos por causa das férias e festividades natalinas. Por isso, criaram uma campanha chamada “Dezembro Verde”, que foi incorporada às nossas lutas há dois anos. Nesse período, intensificamos as ações de conscientização com palestras e caminhadas.

evento dezembro verde
ONG em ação no evento “Dezembro Verde”

Quais os motivos mais comuns para devolução de um animal?

A falta de adaptação do animal na residência, faz com que ocorra sua devolução.

Vocês resgatam todos os tipos de animais ou apenas cães e gatos?

Nosso trabalho é realizado com cães e gatos, mas já ajudamos em casos de animais de grande porte, como égua e jumento.

O que fazer diante de um caso de maus-tratos? Como vocês podem ajudar?

Assim como em vários lugares do Brasil, as leis de proteção animal não funcionam corretamente na nossa cidade. Infelizmente, em alguns casos, até a polícia tem uma certa resistência para atender as denúncias.

Mas em todo caso, sempre que recebemos as denúncias, pedimos provas mais concretas, como fotos ou vídeos do animal em questão. Com esse material em mãos, pedimos para que o denunciante nos acompanhe até a delegacia mais próxima para realizar um BO, ou acionamos a polícia militar para fazer o flagrante.

A ONG tem algum trabalho de conscientização para a população?

Sim. Procuramos conscientizar a população com palestras em escolas, entrevistas em rádios locais, caminhadas, passeatas.

Como é a relação da ONG com órgãos públicos e privados? Existe alguma parceria?

Infelizmente não existe nenhum tipo de parceria com o poder público. Temos apenas uma parceria com a empresa privada Baterias Moura, que nos possibilitou a chance de demonstrarmos como nosso trabalho é realizado e da necessidade de recebermos doações, abrindo espaço para que isso acontecesse na empresa.

Quais casos mais marcaram a história da ONG durante todo esse tempo?

Muitos casos marcaram, mas tenho um que quando lembro ainda me emociono, o cão Nick. Sua mãe era uma cadela de rua, que teve seus filhotes em uma rua de nossa cidade. Todos os irmãos foram adotados e Nick ficou.

Com pena, uma moradora da rua resolveu criá-lo. Com um ano depois ela não o queria mais e o colocou para fora de casa. Ele não saia da sua porta e a acompanhava todos os dias ao estabelecimento comercial de sua família.

Nessa vida de rua, o pobre de Nick pegou um TVT e seu sofrimento agora era duplicado. Além de não ter mais um lar, estava com um tipo de câncer.

Ele passou por 6 sessões de quimioterapia e se curou. Pouco tempo depois foi atropelado por uma moto, e essa pessoa pediu para prender o cachorro em uma cerca de arame farpado, sem coberta nenhuma, apenas com água para que o animal não conseguisse se soltar e voltar para a porta da quitanda, pois os fregueses não se sentiam bem em ver aquela cena: sua pata com o osso exposto e tendões rompidos.

Depois de um tratamento rigoroso, sua pata cicatrizou e Nick foi colocado para adoção. E graças ao meu bom Deus, ele conseguiu um lar com muito amor e cuidados.

Quais são os maiores desafios para vocês?

A falta de um abrigo próprio, nossa limitação financeira, pois vivemos de doações da população e a falta de conscientização das pessoas quanto ao abandono.

Quais são as formas de ajudar a ONG?

A ONG pode ser ajudada através de qualquer valor financeiro, como também ração, remédios, lençóis, toalhas, material de limpeza e higiene, ou apadrinhando um animal que precisa de ajuda veterinária ou de sua esterilização.

Alguma dica ou mensagem para quem está pensando em ter seu primeiro animal de estimação?

Se você deseja adotar um animal, lembre-se que ele vive em média uns 10 anos. Que ele não é um brinquedo que pode ser descartado a qualquer momento. Saiba que ele precisa de assistência caso venha a adoecer, atenção, alimentação, passeios, um local adequado para seu descanso.

Galeria de fotos

Ajude a ONG

Se quiser fazer doações ou apadrinhamento de animais, entre em contato com o pessoal da ONG!

  • Endereço: Rua Jasmelina Castelo Branco, nº 16 – Santo Antônio, Belo Jardim (PE)
  • Contatos: (81) 98918-8628 (Elisangela Torres), (81) 99104-6215 (Cibele Teles), (81) 99307-3466 (Ariane Vasconcelos)
  • Facebook: Laika Vitae
  • Instagram: @laikavitae

Quantas estrelinhas esse post merece?

Avaliação média: 5
Total de Votos: 1
ONG: Laika Vitae (Belo Jardim – PE)

Receba posts por e-mail!

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Ex-vira-lata, já passei por poucas e boas. Morei na rua por mais de três anos, apanhei muito, operei as mamas para remoção de um câncer e agora sou blogueirinha!

Deixe seu comentário