Checklist: saiba se você está preparado para ter um cachorro

Quer ter um animal de estimação? Então, esteja preparado! Confira nossa lista com itens que podem afetar seu bolso ou mudar seu dia-a-dia.

cachorro deitado em sua cama

Sabe aquele ditado, “Querer não é poder”? Você pode querer ter um animal de estimação. Mas será que você pode? Ou seja, você está preparado para ter um cachorro?

Do bolso ao seu tempo (e nem me refiro ao outro ditato, “Tempo é dinheiro”, porque não faz sentido nesse contexto), da sua saúde à dos outros, é preciso se planejar e estar preparado.

Fiz uma lista com alguns pontos que devem ser levados em consideração antes de uma adoção. Certamente essa checklist ainda irá crescer, porque a ideia é pensar em todas as possibilidades possíveis para que todos possam se identificar com parte dela.

Sim, com parte dela – afinal, não é tudo que está listado aqui que necessariamente será útil ou real para todo mundo que tem um cachorrinho.

Então, dê atenção aos pontos que fazem sentido para você!

Finanças: pesquisa de preços

Mesmo que você adote um cão já vacinado e castrado, é preciso ter em mente que alguns gastos poderão surgir – sem contar os mais óbvios, como alimentação.

Coloquei esse item em primeiro lugar justamente porque é o que pode causar maior arrependimento ou imprevistos, já que muita gente não tem noção de quanto gasto um animalzinho pode causar. Veja minha experiência, por exemplo.

Claro que não dá pra prever exatamente tudo, mas é bom ter uma noção e deixar seu bolso preparado. Então, pesquise preços na sua região e evite surpresas:

  • Compra de ração e petiscos (gasto mensal)
  • Banho e tosa (gasto mensal)
  • Vacinas (gasto imediato e/ou anual)
  • Checkup no veterinário (pode variar dependendo do estado do animal)
  • Reserva para emergências (remédios, cirurgias)
  • Hotel, creche ou dog sitting (para casos de viagem ou socialização, por exemplo)
  • Adestramento (caso seja preciso um treinamento básico para comandos, aliviar traumas etc)
  • Tratamento ou cirurgia (quando for adotar, verifique se o animal precisa passar por um desses procedimentos – como a castração)
  • Remédios (temporários, fixos ou complementares, como vitaminas ou antipulgas)
  • Roupas, brinquedos e utensílios (gasto variável)
cachorro sentado em sofá destruído por ele
Leia também: A rotina de quem tem cachorro em apartamento

Saúde: família e ambiente

Você tem alguma alergia? Tem certeza que não (ou seja, fez exames pra saber) ou só acha que não porque nunca teve manifestação?

Lembre-se: você irá conviver com um animal pelo resto de suas vidas. Estar com a saúde em dia é imprescindível.

Então, cheque:

  • Você, outros moradores e/ou visitantes frequentes não têm alergias
  • Sua saúde não é comprometedora (ou seja, você está apto a cuidar de outra vida e tratar de emergências quando possível)
  • O ambiente em si é livre de doenças transmissíveis (considerar também o exterior)
  • O ambiente é livre de pulgas, carrapatos e afins
  • Não há outros animais com doenças transmissíveis no local

Rotina: sua vida será outra

Um cachorrinho será seu companheiro, mas você precisa ser companheiro dele também. Parece um raciocínio óbvio, mas, na prática, muitas vezes isso não acontece.

É recomendável que você confirme:

  • Você estará em casa todos os dias durante algum tempo (ou seja, o pet terá alguma companhia)
  • Você não viaja muito, e em casos de viagem tem com quem deixar o animal
  • Você tem disponibilidade para passeios (cães também precisam gastar energia e socializar)
  • Você tem condições de se adaptar aos horários do seu pet (alimentação e passeios, por exemplo)

Lar: doce lar?

Adotar um animal pensando que todos da casa irão gostar é errado e arriscado. Muitas causas de maus tratos e abandono vêm desse tipo de pensamento.

Não faça surpresas, não seja egoísta. É uma vida que está em jogo.

Certifique-se de que:

  • Os moradores da casa gostam de cachorros
  • Seu relacionamento com outros moradores está bom (cachorro não é terapeuta de casal, ok?)
  • O local é seguro e apto para animais
  • Todos irão respeitar as regras impostas (horários de alimentação, o que o pet pode comer, onde ele pode ficar etc)
planta espada de são jorge
Leia também: Plantas venenosas, tóxicas para cães

Vizinhança: segurança e regras

Para quem mora em apartamento, como eu, é importante ter em mente todas as regras do condomínio. Em alguns casos, por exemplo, você é obrigado a transportar o animal no colo quando estiver em áreas comuns.

Além disso, é preciso conhecer a vizinhança em geral. Há cachorros soltos na rua? Eles podem ser uma ameaça? Como é a limpeza da rua em si? Há cacos de vidro com frequência nas calçadas? Lixo espalhado, fezes, produtos químicos…?

Esse item é importante tanto para convivência quanto para saúde. Então, tenha em mente que:

  • Seu condomínio aceita pets (verificar limitação de porte)
  • As ruas são seguras e ideais para passeios (limpeza, lixeiras, movimentação, cães de rua etc)
  • Há veterinários e hospitais por perto
  • Você está ciente de todas as regras e responsabilidades (condomínio, transporte, silêncio, limpeza etc)
  • Se morar em local alugado, o proprietário aceita animais de estimação

Lazer: bom pra saúde mental e física

Cachorros também têm stress. E também têm problemas de sobrepeso.

Certifique-se de que o animalzinho não ficará dependente de você pra ter uma vida. Mesmo que ele fique sozinho o dia inteiro em casa, ele precisa se movimentar e ter distrações.

Analise por aí:

  • Há opções imediatas de lazer para o pet (de passeios a espaço para brincar ou correr)
  • Você terá disponibilidade para brincar ou passear com seu pet pelo menos uma vez por dia
  • Há parques e/ou lugares específicos para cachorros socializarem e brincarem
  • Em casos de viagens curtas, você poderá levar seu animalzinho junto

Responsabilidades e disponibilidade

Uma hora a brincadeira acaba. É preciso ter responsabilidade e disponibilidade para cuidar do seu cachorro.

Então, confirme que:

  • Você (ou outro responsável) irá coletar as fezes do seu cão na rua
  • O ambiente em que seu pet irá dormir e se alimentar estará sempre limpo e seguro
  • Em casos de emergências você poderá estar presente ou terá ajuda
  • A vacinação estará sempre em dia
  • Caso seja um cão de guarda, será tratado com carinho e atenção e não largado no quintal ou em um terreno
porta cata caca
Leia também: É tão ruim assim pegar cocô de cachorro na rua?

Utensílios para o pet: cama, mesa e banho

O que um cachorro precisa para sobreviver? Felizmente, muito pouco.

Alguns itens são opcionais, então depende do seu bolso. Então, avalie:

  • Cama e cobertores (tenha em mente a frequência que você irá lavar tudo, então compre itens reserva)
  • Potes para ração e água
  • Shampoo e condicionador (caso você dê o banho ou seja preciso algum produto específico para alergias)
  • Alicate e lixa (é importante manter as unhas sempre aparadas, evitando que as mesmas encostem no chão)
  • Segurança (dependendo da raça ou porte é obrigatório uso de focinheira)
  • Coleiras e guias
  • Brinquedos (principalmente de roer, que são “anti-stress” e evitam que o cachorro destrua sua mobília)

Conclusão

Achou isso tudo um exagero? Bom, planejamento é isso aí: é preciso levar em conta todos os fatores.

Não estou tentando fazer você desistir de ter um pet com uma lista enorme de “pontos negativos”. Pelo contrário, a ideia é que você esteja realmente preparado para isso e evitar frustrações – principalmente um abandono.

Se você não estiver preparado agora, não se preocupe: espere mais um pouco até estar. Vai valer a pena.

Achou que ficou faltando alguma coisa? Deixe seu comentário! Vamos deixar essa lista mais completa possível.

Receba posts por e-mail!

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Deixe seu comentário