Por que adotar um cão idoso?

Está pensando em adotar um cão idoso? Então, veja 8 motivos para tomar essa decisão e deixar para trás os preconceitos envolvendo essa atitude tão nobre.

cão idoso deitado num chão de madeira

Se adotar já é um ato de amor, adotar um cão idoso é uma atitude ainda mais especial. Isso porque, ainda existem muitos mitos e preconceitos envolvendo os cães mais velhos. 

Apesar de haver poucas pesquisas sobre esse tema, uma delas traz dados do Brasil, mais precisamente do Rio de Janeiro. Na amostra, o maior percentual de adotados tinha menos de 1 ano e o menor envolvia animais idosos, acima de 5 anos.

Essa realidade se reflete em todo o país, e digo isso por experiência própria, enquanto estive à frente da organização não-governamental (ONG), Laika Vitae

Seja pelo receio dos animais não se acostumarem ou pelo medo de perder esses companheiros mais cedo, as pessoas acabam preferindo cães mais jovens, principalmente filhotes. 

Mas, na verdade, todas essas preocupações podem ser desmitificadas. E a partir de então, é possível abrir o coração para esse tipo de adoção especial. Portanto, confira oito motivos para adotar um cão mais velho.

8 vantagens em adotar um cão idoso

Tranquilos, educados e carinhosos. Essas são características dos animais idosos e algumas das vantagens em escolher um animal mais velho para compor a família. 

Acompanhe a seguir, mais detalhadamente, o que faz dos cães idosos os companheiros ideais para os diferentes tipos de lares.

1. São mais calmos

Os cães mais velhos tendem a ter um comportamento mais calmo, principalmente se comparados aos filhotes. Por isso, não demandam passeios longos, brincadeiras ou exercícios vigorosos no dia a dia.

Eles preferem ficar em casa, junto ao tutor e passar boas horas dormindo. No entanto, isso não significa que o animal deva ficar sem essas atividades, elas só precisam ser controladas.

Por exemplo, os exercícios são importantes para um cão na terceira idade, mas devem ser constantes e rotineiros, como uma caminhada todos os dias. 

Já as brincadeiras, elas podem ser de estimulação mental, como deixar que o cão consiga tirar petiscos de dentro de um osso oco. Assim, é possível manter o corpo e a mente do cachorro saudáveis.

2. São educados

Outro ponto positivo em abrir as portas da casa para cães idosos é lidar com a educação desses animais. Ao contrário dos filhotes, os mais velhinhos não destroem móveis, roupas ou calçados.

Eles também já sabem o lugar certo de fazer as necessidades, livrando o tutor da preocupação de ensinar onde fazer o xixi e/ou cocô. 

Geralmente, são mais obedientes devido à experiência da idade. Por isso, sabem identificar alguns comandos, como por exemplo o “não”. 

3. Animais socializados

Como já viveram boa parte da vida na rua ou em abrigos, os cachorros mais velhos conseguem conviver bem com os animais, a exemplo de outros cães e também gatos.

Além disso, também tiveram contato com diversos humanos, por isso são tranquilos com crianças, adolescentes, adultos e, principalmente, idosos. 

4. Se adaptam facilmente à rotina

Uma das desculpas mais usadas para não adotar um cão idoso é afirmar que ele não se adaptaria à família. Essa premissa, no entanto, não condiz com a realidade.

Como são animais mais calmos e tranquilos, eles conseguem se adaptar bem à rotina da família que o adota. 

Por exemplo, não vão chorar, como os filhotes fazem quando são deixados sozinhos. Assim como também não são do tipo que chamam a atenção com comportamentos destrutivos. 

cão com a cabeça apoiada no colo de uma idosa
Cachorros idosos são companheiros para todas as horas e idades

5. Possuem a personalidade definida

A personalidade e o temperamento do cachorro vai se definindo ao longo do tempo, por isso que filhotes são uma caixinha de surpresas. Mas, com o cão idoso, isso não será um problema. Devido à idade avançada, esses animais acabam se comportando muito bem.

6. Possuem um porte definido

Outra característica que já está firmada em cães idosos é o porte. Adotando um cão adulto ou idoso, você já vai saber o tamanho dele e se esse porte é o ideal para sua casa. O que não ocorre com filhotes, principalmente se for um cão sem raça definida.

7.  São mais gratos

A vida de um cão em situação de rua não é nada fácil. Além de lidar com o abandono, esses pets também precisam enfrentar a falta de abrigo, de comida e, ainda, sobreviver à maldade de algumas pessoas.

Quando são resgatados por alguma ONG a vida melhora consideravelmente, mas ainda assim dividem um espaço pequeno com outros animais e a atenção dos voluntários.

Agora imagine que alguém vá até esse animal e leve-o para casa, dando-lhe todo o conforto, carinho e amor que ele (e todos os outros) merecem! Então, não é difícil de imaginar o quanto esse cão vai ser grato ao tutor, não é mesmo?

8. São companheiros para todas as horas

Por último, mas não menos importante, os cães da terceira idade são companheiros para todas as horas. Como em um casamento, eles estarão ao lado do tutor na alegria ou na tristeza, na saúde ou na doença, e em todos os momentos que você possa imaginar.

Cuidados com a saúde do cachorro idoso

Mesmo com todas essas vantagens, há alguns cuidados que se deve ter com um cão idoso, principalmente com relação à saúde. Assim como no caso dos humanos, os cachorros podem apresentar problemas comuns nessa fase da vida.

Cegueira, surdez e patologias degenerativas, como o câncer, são comuns na terceira idade dos animais. Por essa razão, cães com mais de 8 anos devem ser levados ao veterinário para realizar um check-up a cada seis meses. 

Quanto mais rápido o diagnóstico é descoberto, mais chances o animal tem de melhorar do problema apresentado. 

Além disso, é importante estar atento à alimentação desses pets. Com o passar do tempo, os intestinos reduzem a capacidade de digestão, mas os alimentos ofertados costumam ser os mesmos. 

O correto é criar, junto ao veterinário, uma dieta controlada e saudável. Com uma ração balanceada e própria para a idade do animal ou um cardápio de alimentação natural adaptado para o cão.

Por último, é preciso ter uma atenção especial à higienização do cachorro. Devido à idade avançada, é comum que as glândulas sebáceas produzam mais secreção que o normal, deixando a pele do animal mais descamada ou seca. 

Todos esses fatores geram um odor mais forte que o natural, demandando mais cuidado com os banhos, secagens e escovações da pelagem.

Seguindo todas essas orientações, você vai estar pronto para adotar um cão idoso e oferecer a esse pet uma vida mais digna e amorosa, deixando para trás todos os preconceitos que lhe impediam de tomar essa atitude tão especial e tornando a vida de um peludo ainda mais feliz!

Quantas estrelinhas esse post merece?

Avaliação média: 5
Total de Votos: 3
Por que adotar um cão idoso?

Receba posts por e-mail!

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Katharyne Bezerra
Katharyne Bezerra é jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela UniFavip-DeVry. Atua como ativista ambiental e animal desde 2014 e já foi presidente de uma ONG de proteção ambiental durante 4 anos. Desde 2015 escreve sobre animais para diversos sites. Atualmente, é tutora de três pets, Pepita, Padoca e Charles. Siga no instagram!

Deixe seu comentário